7 de fevereiro de 2015

Resenha: Roubada

  7 Comentários    
Categoria: 


 
Roubada acompanha a história de Lotte Wainwright, uma jovem que é encontrada desacordada  em uma praia e que não tem nenhuma recordação de quem é ou daqueles que conhece. Com a notícia nos jornais, das circunstâncias misteriosas do seu aparecimento, ela é identificada por Dale, uma amiga que conheceu enquanto trabalhava como cabelereira em um navio de cruzeiro. Com a ajuda dos amigos, Lotte aos poucos, vai recuperando fragmentos de memória, que lhe mostram que a verdade pode ser muito mais dolorosa que a ausência de lembranças.

Roubada é um livro intenso, dramático e repleto de momentos angustiantes. Por isso, tende a provocar diversos sentimento no leitor: compaixão, raiva, esperança, tristeza, agonia. Apesar de ser em terceira pessoa, o foco narrativo muda, algumas vezes, e é possível acompanhar e conhecer a história pela perspectiva de outros personagens da trama, o que deixa a narrativa mais dinâmica e interessante. As cenas são bem descritas e ambientadas e isso permite que tenhamos a sensação de estarmos passando por aquilo junto aos personagens. Leslie Pearse consegue manter o leitor atento e interessado em saber o rumo da história.

Os personagens são bem construídos. A personalidade de Lotte vai crescendo e amadurecendo no decorrer da trama. Apesar da infância difícil e das situações terríveis pelas quais passou ela deixa de ser uma personagem frágil, apática e tímida para transforma-se em uma mulher corajosa e determinada, revelando uma personalidade que nem ela mesma sabia que tinha. Dale é outra personagem que merece destaque. Através da amizade com Lotte ela torna-se menos egoísta e insensível e mostra-se solidária e preocupada com outras pessoas, além de si mesma. Há outros personagens interessantes como Simon e Adam, amigos de Lotte, e David, que acaba sentindo-se atraído pela jovem que resgatou na praia.

Algo que me incomodou, um pouco, no livro foi a quantidade de dramas que a protagonista passa, desde a infância sofrida com uma mãe que a maltrata e um pai ausente, até situações mais terríveis e angustiantes, que poderiam ser evitadas sem fazer nenhuma diferença na história. Sabe aquela sensação quando você pensa que o personagem já passou por tudo de ruim, e vem  algo para piorar ainda mais? Em alguns momentos isso pareceu exagerado ou forçado demais.

O Livro apresenta ao final uma pequena biografia da autora e uma entrevista em que ela explica um pouco sobre a construção de seus livros e personagens. Roubada é um livro que deve ser lido por aqueles que apreciam uma boa história de suspense, repleta de mistérios, dramas e momentos emocionantes.

4/5


 

7 comentários:

  1. ai fiquei com pena da Lotte, nunca é bom drama de mais, personagem sofrida ela, nao? achei a resenha interessante embora nao seja o meu tipo de livro favorito, mas quem sabe nao surpreende,nao eh mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Drama demais nunca é bom, né?! Mas, o livro tem muito suspense e até um pouco de romance :)

      Excluir
  2. ai fiquei com pena da Lotte, nunca é bom drama de mais, personagem sofrida ela, nao? achei a resenha interessante embora nao seja o meu tipo de livro favorito, mas quem sabe nao surpreende,nao eh mesmo?

    ResponderExcluir
  3. amei a resenha, parece ser um livro bem interessante, desses que prende a gente. Doida para ler..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem interessante. Leia e depois me conte o que achou.

      Excluir
  4. Lembro de quando esse livro foi lançado com a capa antiga e na época não me interessei muito em ler, mesmo que algumas resenhas tenham elogiado ele. Não vi necessidade na mudança de capa, mas continuo não achando a minha praia.

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise. Realmente, a mudança de capa foi desnecessária e até acho que a capa antiga tinha mais a ver com a história.

      Excluir